domingo, 18 de Agosto de 2013

Viajar com um bebé de 2 anos

Desde muito novinho que o baby viaja de férias para a Europa. A primeira viagem que fez tinha 2 meses e foi para a Bélgica. Depois disso, já fomos a Roma, percorremos de carro a Escócia, a Sicília e agora a Roménia, viajamos de caravana pela Holanda. Viajar com uma criança tão pequena parece à primeira vista um pouco assustador ... e se ele adoece? e o que é que vai comer? o que levar? ... etc ... etc ...
 
Aqui vão algumas dicas:
 
1. Viajar de Avião
 Até aos 2 anos a criança viaja ao colo dos pais e depois de fazer os 2 anos passa a ter um lugar dela - e a pagar como se fosse um adulto :( . Quando se entra no avião com um bebé, sente-se de imediato que alguns dos passageiros olham para nós .... a rezar para que a criança fique longe!!! Por muito que custe, eu compreendo; e às vezes as coisas podem complicar-se. Para o avião é importante termos à mão fraldas e toalhitas (a qualquer altura pode ser necessário ir trocar a fralda), uma muda de roupa, água, bolachas, se a viagem for longa, levar num termo o leite ou a sopinha.
 
Por experiência própria, e eu já viajei sozinha só com o baby, manter aos pés um saco com isto; se colocar o sapo na bagageira, depois é difícil ir buscar, com a criança ao colo. Não esquecer da chucha, é fundamental para quando o avião levanta voo e quando aterra, se a criança estiver a chuchar (também pode ser a beber água ou leite pelo biberão) evita as dores de ouvidos.
 
Para os bebés com 2 anos, apesar de a tripulação normalmente ter algo para oferecer, levar um livrinho, papel, canetas.
 
Tentar marcar as viagens para momento que a criança dorme, de preferência fazer de madrugada ou de noite. As viagens durante o dia, podem ser muito trabalhosas .... Acima de tudo, é necessário ter alguma descontracção.... contar histórias, cantar, fazer desenhos, folhear as revistas do avião e criar histórias em cada uma das páginas, chamar a atenção para as nuvens, ... etc ... etc ...Andar pelo corredor pode ser uma opção, se a viagem for longa, mas não aconselho, normalmente a tripulação anda de um lado para o outro com carrinhos, existem passageiros a ir ao WC e o passeio pode tornar-se caótico.
 
Levar na bagagem de mão, duas mudas de roupa e fraldas .... Na minha viagem à Sicília, fiquei sem a bagagem durante 2 dias (a do bebé inclusive) .... E o que evitou o stress foi o facto de levar na bagagem de mão o necessário para 2 dias para o bebé.
 
Quanto ao carrinho de bebé, se ele vai connosco até entrarmos no avião. À entrada do avião, deixa-se o carro que é levado para o porão. Para reavermos o carrinho, isso depende do aeroporto de destino, umas vezes levam-nos à porta do avião, outras vezes sai juntamente com a bagagem e outras vezes ainda sai no tapete para bagagem de formatos especiais. Nunca se sabe como vai ser, logo o melhor é estar preparada para carregar a criança ao colo pelos corredores do aeroporto, logo ... não levar muitas coisas na mão, e de preferência levar bagagens que se possam carregar às costas ou ao ombro.
 
Por fim, no aeroporto de saída, na passagem das máquinas e da polícia, é importante ter à mão e tudo junto o que for do bebé. Podemos levar líquidos para o bebé e normalmente a polícia pede que se prove um pouco do que se leva (excepto se estiver fechado, como é o caso dos iogurtes e afins). Na passagem das máquinas, coloca-se tudo em cima do tapete, o carro passa pelo portal (na Roménia havia uma máquina grande só para passar carrinhos), depois passa o bebé (passa para o colo de um polícia) ou passa sozinho se já andar e depois passamos nós. Em quase todos os aeroportos existe uma zona para prioritários, porém é conveniente chegar com alguma antecedência pois este processo pode ser um pouco moroso.
 
2. Viajar de Carro
Se alugar um carro, pode optar por também alugar uma cadeirinha ou então leva uma consigo (desde que não seja muito pesada e volumosa .....) ou então compra uma no país de destino. Eu até agora optei sempre por alugar uma cadeirinha, mas agora como o bebé está a ficar grande, na próxima viagem levo comigo um assento.
 
Percorrer um país com uma criança pequena, é mais trabalhoso à medida que vão crescendo. As viagens com o bebé pequeno são muito fáceis, pelo menos para mim foram. Só tínhamos de parar de vez em quando para lhe dar de comer e de beber e durante a viagem ir fazendo gracinhas e cantar. Mas à medida que vão crescendo, vão ficando mais irrequietos e aqui, mais uma vez, é necessário imaginação e calma. Levar brinquedos, alguns CDs com as suas músicas preferidas, ter sempre à mão uma garrafa pequena com água e umas bolachinhas. Não esquecer de levar algo que proteja o bebé do sol, uma fralda é suficiente. Depois, é aproveitar a viagem. Falar com a criança sobre aquilo que estão a ver na paisagem, chamar a atenção para os animais, as árvores, as pessoas ... e tudo se passa bem.
 
Não fazer grandes distâncias sem que se pare de vez em quando para a criança espairecer um pouco. E acima de tudo, tentar manter as rotinas de refeição da criança. Pensar com antecedência o que é que a criança vai comer ao almoço, ao lanche ao jantar do dia é fundamental.
 
3. Refeições
Em viagem as refeições do baby podem ser um pouco diferentes do que normalmente faz em casa. Não sou tão fundamentalista. O meu baby não gosta de comer fora de casa, e por isso este tema das refeições é à partida um pouco stressante. E depois de tantas viagens, já descomplico muito, mas é um assunto que me incomoda sempre. Fruta é algo que não pode faltar. Leite também não.  Comigo levo sempre o leite que o baby bebe; normalmente bebe Mimosa crescimento, logo levo pacotes pequenos (200 ml), de manhã bebe sempre um biberão com 2 destes pacotinhos. Também, levo sempre boiões de fruta, 2 para cada lanche. E levo também um pacote de papa (para as emergências). Depois, quando chego ao destino compro fruta. 
 
Os almoços e jantares, escolho restaurantes que tenham sopa (perguntar sempre se têm varinha mágica para a passar .... e perguntar se a sopa é própria para dar a um bebé ....já aconteceu encontrar restaurantes sem varinha mágica, e com sopas extremamente condimentadas). Depois a refeição, o baby acompanha o que eu comer. Claro que escolho coisas que ele possa comer.... normalmente o meu baby não come nada ..... e por isso passa o tempo de viagem a leite, sopa, fruta, pão e às vezes esparguete à bolonhesa, pizzas, croquetes .... e evito dar doces, gelados, ....  (sei que não é refeição mais equilibrada, mas asseguro que quando chega a casa volta tudo à normalidade...). Acima de tudo, é importante não stressar em demasia, e garantir que o leite, a sopa e a fruta estão sempre presentes.
 
4. Bagagem
Na bagagem do baby levo sempre uma muda de roupa completa para cada dia, + uma para de cima extra para cada 2 dias. Normalmente não lavo roupa, logo se estiver fora 7 dias, levo 7 mudas de roupa e ainda + 3 partes de cima extra. No verão levo uma sweat com capuz. Não esquecer do boné (e tê-lo sempre à mão).
 
Quanto às fraldas, levo fraldas que sejam muito absorventes (publicidade à parte, as minhas preferidas são as Dodot Activity), e em média 5 a 6 por cada dia. Um pacote de toalhitas. Lenços de papel. Babetes. Uns sapatinhos extra. Meias. Pijama. Uma mantinha.
 
Os artigos de higiene, levo as amostras que vou coleccionando de cremes de corpo, rabinho, gel de banho - Ocupam pouco espaço. Se não tiver amostras de gel/shampoo, tenho sempre de reserva alguns frasquinhos de plástico pequenos onde coloco o gel/shampoo que ele costuma usar. 
 
De medicamentos, levo sempre 2 xaropes - Ben-u-ron e Bruffen; soro fisiológico, Fenistil, creme protector solar, termómetro. 
 
Uma outra coisa que levo sempre na bagagem é uma pequena chaleira eléctrica ....para poder de manhã, ou durante a noite aquecer o leite. Nem todos os hotéis têm uma coisa destas no quarto.... Para as refeições, o que já anteriormente referi, o leite em pacotes de 200 ml, o pacote de papa, os boiões de fruta (não levar nada que necessite de frio).
 
Não esquecer do biberão, da chucha, de 1 ou 2 colheres para dar os lanches, de uma pequena faca para descascar a fruta (não levar a faca na bagagem de mão!!).
 
5. Alojamento
Já fiz férias em caravana, em Bed & Breakfast, em hotéis, em apart-hotéis..... O que eu prefiro são apart-hotéis, nada como ter um micro ondas para aquecer o leite do baby, um frigorífico, um fogão para confeccionar as refeições. Porém, quando isso não acontece, é importante quando se reserva um local para dormir, ver se têm disponível uma caminha para o bebé. Caso não tenham, o que acontece muito frequentemente nos B&D e nos pequenos hotéis, existe sempre a opção de o baby dormir com os pais ou então coloca-se um colchão no chão para ele dormir (ver se não existe nenhuma tomada eléctrica nas imediações).
 
Como o bebé pode acordar durante a noite com fome, a chaleira eléctrica que levo sempre comigo faz sempre muito jeito para aquecer o leitinho.
    
Acho que não me esqueci de nada ....
A título de exemplo, as últimas férias foram na Roménia. Eu, o meu marido e o baby percorremos parte da Roménia de carro e para 7 dias a nossa bagagem eram 2 malas e que no total não pesavam cada uma mais de 15 kg e um pequeno trolley que ia connosco no avião com as mudas SOS, os brinquedos...
 
Depois para visitas as cidades, faz-se como se fosse em Portugal de cada vez que saímos com uma criança. Uma mochila com as fraldas, as toalhitas, a água, fruta .... o carrinho de bebé.... e aproveitar!!!



Sem comentários:

Enviar um comentário